Brincando de apocalipse


Nostradamus um profeta.

Fim de tudo e começo do nada.

Regime político ou dieta?

Uma comédia sem graça.

 

Mais uma guerra explodiu.

A frente fria do norte chegou.

Na televisão a morte sorriu

Durante o beijo do ator.

 

Greve geral na nação,

Nem o presidente foi trabalhar.

Chernobyl mutila mais uma geração.

Guerra nas estrelas saiu do ar.

 

Alô Princesa!

Você já leu o jornal de amanhã?

Letras garrafais vermelhas

Anunciam que tudo acabou e não houve Eva nem maçã.

 

Atrasa os ponteiros!

Como anda a nossa sorte?

Consulta o tarô!

Mas eu já bolei nossa causa-mortis:

Suicídio de amor.

 

Paulo Rogério da Motta


Sugestão musical para a poesia

Lorde – Glory and Gore


Deixe uma resposta